Clientes satisfeitos através de integração simples

Diálogo entre os fabricantes e usuários durante a “Reunião dos parceiros de integração aberta”

Pela primeira vez, 35 parceiros de integração aberta se reuniram na Endress+Hauser em Reinach, na Suíça, para compartilhar suas experiências e pensamentos. Um destaque do evento foi uma apresentação de representantes das indústrias química e farmacêutica, descrevendo como eles se beneficiam do programa de parceiros durante a digitalização de seus processos - e o que eles gostariam de ver no futuro.

O objetivo do programa Integração Aberta iniciado pela Endress+Hauser pode ser resumido rapidamente: a integração simples, rápida e independente do fabricante de componentes e dispositivos em vários sistemas de automação. E, quase que mais importante, os clientes satisfeitos.

Embora pareça simples em teoria, quando se trata de operação do sistema do dia-a-dia, está longe disso. Até mesmo os especialistas mais experientes em automação têm grande respeito pelos sistemas de múltiplos fornecedores, o que também se aplica a soluções completas “de uma única fonte” Afinal de contas, as comunicações digitais - uma pré-condição para o uso extensivo da inteligência existente em dispositivos e sistemas de campo - colocam sérias demandas na integração.

Com seu programa de parceria Integração Aberta, a Endress+Hauser está convidando fornecedores de tecnologia de controle, infraestrutura fieldbus, tecnologia de medição e sistemas de atuadores para testar e documentar a interação de seus produtos de forma ainda mais ampla no interesse de seus clientes.

Os parceiros de cooperação incluem a Auma Riester, Bürkert, Festo, Flowserve, Hima Paul Hildebrandt, Honeywell Process Solutions, Mitsubishi Electric, Pepperl + Fuchs, Phoenix Contact, Rockwell Automation, Schneider Electric e a Turck.

Padrões abertos como base

A base deste esforço são padrões de comunicação abertos (Hart, Profibus, Foundation Fieldbus, EtherNet /IP ou Profinet), bem como padrões de integração aberta (FDT, EDD, FDI). Com uma seleção quase ilimitada de opções, as topologias de referência representam combinações práticas adequadas para aplicações nas indústrias químicas, ciências biológicas, alimentos e bebidas, petróleo e gás, energia, bens primários e metal e água e efluentes.

As topologias de referência levam em conta os requisitos típicos do setor, como proteção contra explosão, disponibilidade e redundância. Cada topologia é exaustivamente testada e documentada no laboratório em Reinach em conjunto com os parceiros, após os quais as recomendações são publicadas.

Testes de interoperabilidade criam valor agregado

Como os clientes se beneficiam do programa de parceiros da Integração aberta? Todo problema que os especialistas em integração descobrem antes do comissionamento pode ser resolvido a um custo muito menor comparado a resolver o problema no campo em algum momento posterior. Os clientes recebem recomendações concretas e validadas para automatizar seus sistemas, que vão muito além da conformidade estabelecida e dos testes de interoperabilidade, garantindo a integração perfeita. Por último, mas não menos importante, economizam tempo e dinheiro.

Com desenvolvimentos como o IIoT e o APL, os usuários enfrentarão novos desafios e os testes de integração receberão peso adicional. Isso torna ainda mais importante que os parceiros de Integração Aberta trabalhem juntos em longo prazo.

Os representantes dos clientes e fornecedores participantes concordaram plenamente com este ponto. A segurança cibernética, além da questão da conectividade, terá um papel fundamental no futuro. Além disso, eles concordaram que estratégias eficientes precisam ser desenvolvidas para enfrentar novos participantes no setor de automação, como IBM ou Amazon.

Desenvolvimentos voltados para o cliente

Uma coisa ficou clara durante o encontro em Reinach, no início de junho: a indústria de controle de processos quer sistemas abertos e interoperáveis, em vez de soluções proprietárias. Um dos usuários deseja acesso uniforme e estruturado a informações estáticas através de placas tipo QR e RFID, de acordo com a norma DIN 91406. O diagnóstico padronizado em conformidade com a NE 107 também está no topo da lista de desejos.

Em curto prazo, a Endress+Hauser quer trabalhar com seus parceiros para resolver essas e outras questões abertas com o objetivo de utilizar a Integração Aberta para oferecer aos clientes ainda mais valor agregado durante a digitalização de seus processos. O objetivo comum: clientes satisfeitos que podem utilizar de forma extensiva as oportunidades que a digitalização traz com pouco risco.

Diálogo entre fabricantes e usuários na reunião da Integração Aberta em Reinach, Suíça. ©Endress+Hauser

Diálogo entre os fabricantes e usuários durante a reunião de Integração Aberta em Reinach, Suíça.

Contato