Menos desperdício e custos mais baixos

Novo processo de jateamento com metal ecologicamente correto

Até pouco tempo, a Endress+Hauser usava 60 toneladas métricas de esferas de vidro por ano para o tratamento da superfície de medidores de vazão. Ao mudar o agente de jateamento para granalha de aço inoxidável, apenas 2 toneladas são acumuladas agora. Essa inovação é boa para o meio ambiente e economiza recursos.

Cores de têmpera críticas. ©Endress+Hauser
Injetor do sistema de jateamento. ©Endress+Hauser
Injetor do sistema de jateamento. ©Endress+Hauser

Produção Endress+Hauser

Milhares de medidores de vazão apenas para engenharia de medição de processos industriais são fabricados na planta da Endress+Hauser em Reinach, na Suíça. Uma etapa da produção envolve a solda de duas metades dos invólucros, causando descolorações avermelhadas nas junções de solda. "Essas "cores de têmpera" causadas pelo calor devem ser removidas completamente usando agentes de jateamento.

Testes intensivos

Se não fizermos isso, os efeitos atmosféricos podem corroer e destruir partes não tratadas em pouco tempo,” explica Boris Lauton, responsável pela operação de sistemas de jateamento abrasivo.

Após testes intensivos, em 2012, a Endress+Hauser decidiu substituir as esferas de vidro por granalha de aço inoxidável como o agente de jateamento para o processo de limpeza. Essa mudança foi muito vantajosa em termos de consumo e descarte de material de jateamento e de saúde e segurança.

Trabalho mais seguro – menos poeira

Devido ao peso específico mais alto, a limpeza com granalha de aço inoxidável gera significativamente menos poeira que as esferas de vidro. A limpeza aprimorada aumenta os níveis de segurança na produção e minimiza o risco de poeira inalada pelos operadores.

Mais ecologicamente correto – menos desperdício

Com apenas 2 toneladas de pó de metal por ano, o uso de material de jateamento de aço inoxidável gera muito menos resíduos se comparado com as 60 toneladas de pó de vidro que não podem ser reciclados e devem ser descartados como resíduos especiais. Além disso, o custo de descarte do pó de vidro, de 22.000 euros anuais, é substancialmente maior que o de agentes de jateamento para aço inoxidável.

Processo mais suave – menos abrasão

A granalha de metal tensiona os sistemas de agentes de jateamento a um nível muito menor do que as esferas de vidro. A vida útil de tampas, mangueiras e bocais detonadores é dez vezes mais longa.
Boris Lautons resume: "Os sistemas convertidos contribuem com o meio ambiente e economizam recursos, bem como têm custo substancialmente otimizado."

Contato